terça-feira, 1 de junho de 2010

IV Percurso Literário - "Ao Encontro de Camilo Castelo Branco"

     No dia 22 de Maio lá fomos nós ao encontro do escritor da famosa novela "Amor de Perdição".
    Saímos de Oliveira do Bairro à hora prevista, e às 10 horas estávamos no Museu Romântico, um dos locais mais exuberantes e sossegados da cidade do Porto. Aqui se iniciou a nossa viagem pelos ambientes do século XIX ligados à época de Camilo, ao  Romantismo e à bonita Cidade Invicta. Ninguém ficou indiferente aos frondosos jardins envolventes, provavelmente percorridos pelo Rei Carlos Alberto (Rei do Piemonte - Sardenha), que aqui viveu os últimos anos da sua vida, à sala das telas, com pinturas de paisagens bucólicas, ao ambiente requintado da sala de jantar, com loiças de faiança inglesa, talheres de prata, objectos de cristal e tapeçarias francesas, à sala de bilhar onde apenas os homens se reuniam, à sala de convívio, onde existia um magnífico piano e as senhoras burguesas se reuniam para conversar.
    Como nem só de cuidar do espírito vive o Homem, regressámos ao século XXI para almoçar. O piquenique realizou-se num dos parques de merendas  da cidade do Porto.
    Continuámos a nossa viagem em direcção a S. Miguel de Seide, localidade cheia de memórias do  famoso escritor que aqui viveu e morreu. 
    Na Casa de Camilo fomos recebidos por dois simpáticos e competentes guias, um para cada grupo de alunos das três escolas envolvidas na viagem: a Escola Básica Dr. Acácio de Azevedo, a Escola Secundária e o Instituto de Promoção Social de Bustos.
    No exterior, junto à escadaria, vimos a velha acácia, plantada por um dos filhos de Camilo aos oito anos de idade; no interior, pudemos observar, nos vários aposentos, (vestíbulo, sala de jantar, sala de visitas, escritório, quarto de Camilo e Ana Plácido, quartos dos filhos, cozinha, saleta de Ana Plácido e galeria de exposições) os móveis funcionais e decorativos, com destaque para o relógio de caixa alta que Camilo refere  na obra “Eusébio Macário” e para a cadeira de baloiço onde se suicidou, depois de a cegueira lhe ter roubado a possibilidade de ler e escrever, os retratos de família, os livros e outros objectos pessoais de Camilo e Ana Plácido, "a mulher da sua vida".
    Esta viagem facultou-nos também um encontro inesperado com um dos actores mais prestigiados da comédia portuguesa.  Estava em cena, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, a nova peça com José Pedro Gomes - "Vai-se andando". Como um grande actor nunca desperdiça o tempo, partilhámos com ele, por alguns minutos, a visita à Casa de Camilo, distinguida com o "Prémio Melhor Museu 2006", atribuído pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM).
     Estava um calor de morrer e antes de regressarmos, fomos beber água fresca ao café “Amor de Perdição”.
   Esta actividade organizada pela Rede de Bibliotecas de Oliveira do Bairro, em colaboração com o Departamento de Línguas, revelou-se muito enriquecedora não só por ter possibilitado a descoberta de uma época e de um grande escritor português como também por ter proporcionado o convívio entre alunos, professores e funcionários das várias escolas participantes.

Sem comentários:

Enviar um comentário