quarta-feira, 13 de maio de 2015

O escritor sou eu... Nuno Camarneiro



No dia 11 de maio, no âmbito do projeto “Leituras & Conversas Partilhadas”, decorreu, na Escola Secundária de Oliveira do Bairro, uma palestra com o escritor/cientista Nuno Camarneiro.
O palestrante começou por se apresentar, falando da sua juventude passada na Figueira da Foz, altura em que descobriu o gosto pelos livros, do seu percurso académico em Coimbra (engenharia física), da sua experiência como cientista do CERN (Conselho Europeu para Pesquisa Nuclear) na Suíça e também do seu doutoramento em Ciência Aplicada ao Património Cultural pela Universidade de Florença.
Nuno Camarneiro referiu que o seu gosto pela escrita surgiu quando esteve na Suíça. Foi aí que começou a dedicar-se à escrita, como forma de colmatar a ausência da família e dos amigos.
Já tem algumas obras publicadas e um dos seus livros (“Debaixo de algum céu”) ganhou o prémio Leya 2012. Fez ainda incursões pelo texto dramático e pelo cinema. Está também para breve a publicação de um livro para o público infantil.
Os jovens colocaram várias questões, nomeadamente como se chega a escritor e o que fazer quando não se tem inspiração. Nuno Camarneiro disse que uma das regras para se ser escritor é ler bons livros e visionar bons filmes e boas séries. Acrescentou que tudo o que vale a pena na vida dá muito trabalho e que, mesmo quando não temos vontade, devemos insistir no trabalho.
Os jovens mostraram-se agradados com a forma jovial como o escritor interagiu com todos. 

Viagem a Coimbra - "À Descoberta da Ciência"



No dia 9 de maio, realizou-se a viagem a Coimbra com jovens do 10º ano, seniores da Santa Casa da Misericórdia e alunos da Universidade Sénior (UNISOB), no âmbito do projeto “Leituras & Conversas Partilhadas”.
Na impossibilidade de visitar o Museu da Ciência, tal como estava previsto, visitou-se o Museu da Água e o Jardim Botânico da Universidade de Coimbra. A visita guiada ao Museu da Água permitiu conhecer a história do edifício, que era o local da captação, tratamento e distribuição da água do rio Mondego para as diversas populações. Hoje, estando desativado, funciona como museu. No início da visita guiada, houve uma chamada de atenção para a importância da reciclagem. mostrando alguns objectos (porta-moedas, carteiras e sacos) fabricados a partir das telas usadas para publicitar as actividades promovidas pelo museu. Na sala de exposições, estava patente uma mostra de vários tipos de solo e foi projectado um vídeo tridimensional sobre o ciclo da água e a importância de poupar este bem essencial à vida.
Depois do almoço, o grupo dirigiu-se ao Jardim Botânico, onde pôde observar várias colecções de plantas e passear à sombra das frondosas árvores.
No regresso a Oliveira do Bairro, apesar do cansaço físico, os participantes mostraram-se satisfeitos com o que aprenderam neste dia.