terça-feira, 26 de março de 2013

Semana da leitura e da poesia


Na semana de 11 a 15 de março, comemorou-se, no Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro, a Semana da Leitura e da Poesia. Esta semana é celebrada em todo o Concelho pela Rede de Bibliotecas, que organiza anualmente atividades diversificadas para as várias bibliotecas.
Na segunda-feira, o ilustrador Carlos Campos interagiu de forma bastante animada com os alunos do 1º ciclo  da Palhaça e do Troviscal. Na terça-feira, o escritor João Manuel Ribeiro falou e esclareceu dúvidas sobre os seus dois últimos livros de poemas “A casa dos feitiços e “Patati Patatá”.  De forma divertida, desmistificou um pouco a sobriedade deste tipo de textos aos alunos do 1º ciclo  de Oiã e de  Bustos. E não é que todos adoraram brincar à poesia?
Ao longo da semana, as bibliotecas organizaram exposições de livros, poemas e trabalhos realizados pelos alunos e ofereceram poemas doces - que eram lidos no momento -  a todos os que lá se dirigiram.  As atividades “Doce poesia” e “Desafio poético”, que incitavam os alunos a ler e/ou escrever um poema na biblioteca, foram muito apreciadas, sobretudo pelos alunos do 2º e 3ºciclos.
Na biblioteca da Escola Secundária decorreu, no dia 14, a atividade “Ao ritmo da poesia”, patrocinada pela Câmara Municipal de Oliveira do Bairro. Este espetáculo foi muito  elogiado pelos participantes. Os animadores, um dançarino de hip-hop, um cantor de rap e beatbox e um humorista, retiraram aos textos o peso académico e brincaram com poemas bastante conhecidos dos alunos, passando-lhes a mensagem de que a poesia pode ser divertida. De salientar que o grupo que atuou enalteceu o comportamento e a interação dos alunos que assistiram.
Este ano iniciou-se a “Poesia sobre rodas”, que consiste em declamar poemas aos passageiros do TOB (Transportes de Oliveira do Bairro). Foi um grupo de alunos do 8º C e outro do 11ºC que, devidamente identificados, deram a conhecer poemas de poetas portugueses a quem, naquela hora, viajou nas linhas azul e laranja.
As alunas do 8º C também se empenharam em levar “Poesia à porta” e entraram em estabelecimentos comerciais e institucionais de Bustos e de Oliveira do Bairro, enchendo estes espaços de musicalidade poética.
Com as atividades “Poesia a corar” e “Poemas proclamados” os alunos do 1º ciclo tiveram oportunidade de criar textos poéticos e de recitar e ouvir poemas consagrados.
À semelhança dos anos anteriores, notou-se uma participação bastante animada e empenhada da comunidade educativa. Muitas vezes, as atividades realizadas fora da sala de aula são mais proveitosas, permitindo aos alunos uma aprendizagem, sobretudo a nível do respeito pelos valores, mais eficaz.
Dada a avaliação positiva da “Semana da Poesia”, consideramos pertinente continuar a desenvolvê-la no próximo ano letivo.

As professoras bibliotecárias

quinta-feira, 7 de março de 2013

Conversas com Chá - Educação Financeira é comigo


No dia 22 de fevereiro realizou-se mais uma "Conversas com Chá", desta vez na BE da Escola Secundária de Oliveira do Bairro, com o convidado Sérgio Cruz, da Universidade de Aveiro, sob o tema "Educação financeira é comigo".
O Agrupamento de Escolas ofereceu o jantar, confecionado e servido pelos alunos do Curso Profissional de Restauração, assim como o chá e os biscoitos. Sob a orientação dos seus formadores, a sua excecional prestação revelou o profissionalismo necessário a futuros desempenhos.
Esta palestra permitiu a reflexão sobre um assunto que começa a ganhar cada vez mais importância em Portugal. É inquestionável que a má gestão do dinheiro traz repercussões negativas na vida das pessoas. Tal como diz John Kenneth Galbraith, "Nada estabelece limites tão rígidos à liberdade de uma pessoa quanto a falta de dinheiro". Quando não é feita uma boa gestão do dinheiro e as pessoas começam a viver em função das más escolhas que fazem, sejam elas de consumo ou de estilo de vida, tornam-se reféns das suas limitações financeiras. Por outro lado, quando as opções financeiras são tomadas de forma consciente, segura e responsável, para evitar a fraude e o endividamento crónico, os indivíduos vivem mais felizes e livres de fazer escolhas.

As escolas portuguesas não contemplam nos seus currículos a educação financeira, daí que a maioria dos portugueses seja iletrada nesta área. O momento de crise que o país atualmente atravessa constitui um verdadeiro desafio para muitos, agravado pela falta de informação e de conhecimento nesta área do saber.              
Mas será que os portugueses que têm acesso à Internet conhecem a existência deste site? É suficiente para a sua autoformação? Existe outro tipo de acções destinadas àqueles que não têm acesso à Internet?